Alergia alimentar em bebês

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

Esteja você desfrutando o universo da maternidade pela primeira vez ou no seu quinto filho, é comum, e em certo nível até apropriado, você sentir insegurança sobre como lidar com seu filho.

Afinal, a forma como seu filho se alimenta, adquire imunidade, aprende a se sentir seguro e conhece o mundo é através de você.

Checagem constante para ver se o seu bebê está respirando, medo que ele comece a chorar e você não escute (quanta ingenuidade, não é mesmo?), insegurança em relação à temperatura e muitos outros medos rondam seus pensamentos o tempo todo.

Algumas em maior, outras em menor intensidade, mas o fato é que toda mãe se preocupa em algum nível com o bem-estar do seu filho e com sua competência enquanto mãe.

Reações alérgicas costumam ocorrer nos primeiros meses de vida. Por isso, reuni neste texto algumas informações que permitirão a você entender um pouco melhor como se dá o processo alérgico e como lidar com ele.

1. Entendendo a reação alérgica à um alimento

Uma reação alérgica é uma resposta do nosso organismo frente a algo interpretado como uma ameaça. Por isso os primeiros contatos do bebê com alguns alimentos podem causar reações alérgicas.

Quanto mais complexo for o metabolismo do nutriente, mais atenção deve-se tomar nos primeiros contatos do bebê com a fonte de tal nutriente.

Você não deve deixar de oferecer nenhum alimento ao seu bebê, mas estar atenta para eventuais reações alérgicas.

Saiba como começar a introdução alimentar do seu bebê.

2. Mas afinal, como identificar uma reação alérgica em seu filho?

A alergia é um processo biológico comum e até adaptativo. Quanto mais cedo você puder identificar a alergia em seu filho, melhores condições de trata-lo você terá. Por isso, fique atenta aos seguintes sintomas:

  • Manchadas avermelhadas e elevadas sobre a pele, normalmente espalhadas por todo o corpo;
  • Coceira generalizada;
  • Inchaço dos olhos, língua, lábios e rosto como um todo;
  • Alterações na respiração (chiado ou até mesmo dificuldade ao respirar);
  • Diarreia e vômito;
  • Gazes e cólica;
  • Nariz escorrendo sem estar gripado ou resfriado.

Sintomas como diarreia, vômito, gazes e cólica são bem abrangentes, de modo que não são indicativos específicos de alergia. Ainda assim é importante dar atenção especial à estes sintomas.

3. O que fazer ao suspeitar que seu filho possa ter alergia alimentar?

Como em qualquer situação envolvendo dúvidas acerca da saúde do seu bebê, o que você deve fazer quando suspeitar que seu filho possa ter alergia alimentar é leva-lo a um médico de sua confiança.

Também é importante buscar lembrar exatamente tudo que foi dado para seu filho comer, pois uma reação diferente em decorrência de alimentação, na grande maioria das vezes, é causada pelo contato com um alimento nunca antes ingerido, ou preparado de forma diferente do habitual.

Não havendo nada semelhante, é importante que o médico seja informado, pois nesses casos o risco de se tratar de uma alergia alimentar diminui consideravelmente.

Casos muito específicos podem necessitar um alergista, mas o primeiro contato é bom que seja com um pediatra. Se for um pediatra alergista, melhor ainda.

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Blog
rgarciacolina@yahoo.com.br

Bebê com 4 meses pode comer papinha?

Com 4 meses, o bebê não pode ainda comer papinha nem nada. A principio, nessa idade ele não está preparado e a introdução dos alimentos

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE