Cólicas em bebês de 3, 4 e 6 meses: a alimentação da mãe interfere? +[dicas de massagens]

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

Como a alimentação da mãe interfere nas cólicas do bebê

Se tem uma coisa que deixa qualquer mãe desesperada e ao mesmo tempo com sentimento de impotência, é quando seu bebê está com cólica. Se você já passou por isso sabe do que eu estou falando.

A cólica se deve ao sistema gastrointestinal do bebê ser imaturo, ou seja, ainda não está formado. As contrações involuntárias devido a digestão e fermentação do leite provocam a cólica.

De acordo com o Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de 2 Anos, do Ministério da Saúde, a cólica infantil se caracteriza pelo choro intenso e ocorre geralmente a partir de 6 semanas de vida. Ela costuma melhorar espontaneamente quando o bebê tem entre 3 e 6 meses. 

Muitas pessoas acreditam que a alimentação da mãe, com a ingestão de determinados alimentos, piora as cólicas quando o bebê é amamentado. Porém, cientificamente, não há nada que relacione a dieta da mãe com a cólica do bebê.

Alimentação interfere ou não?

Como não existe nenhum estudo ou informação que comprove que a alimentação da mãe cause cólicas no bebê, não precisa evitar nenhum alimento durante a amamentação. Contudo, é recomendado observar se a cólica aparece ou piora quando ela come determinado alimento. 

Tudo sobre introdução alimentar

Alguns alimentos são conhecidos por causar gases, como feijão e brócolis, mesmo assim não precisa evitar. Existe uma crença também de que o açúcar causa cólicas. Apensar de não haver comprovação cientifica, sabemos os males deste alimento para qualquer pessoa. Então, deve ser consumido com moderação. 

Cólicas em bebês 6 meses

Se o bebê for alérgico?

Um bebê que só mama no peito pode ter sim alergia a alguns alimentos e ele terá o desconforto quando a mãe os consumir. 

Veja como identificar e tratar alergias na introdução alimentar

Segundo o Guia Alimentar, o alimento ingerido pela mãe que mais causa alergia na criança é o leite de vaca. Presença de sangue nas fezes, refluxo e irritabilidade são alguns dos sinais de alergia na criança. 

Porém, outros alimentos também podem causar alergia como amendoim, ovo e trigo. Nesses casos, a mãe não precisa parar com a amamentação. O tratamento da cólica é feito com a retirada da dieta da mãe o alimento que pode estar causando a alergia no bebê.

Como lidar com as cólicas

Como você viu, a cólica se deve ao organismo do bebê, que ainda não está completamente formado. Imaturo, o intestino precisa de mais força para fazer a digestão e absorção dos alimentos. 

veja também Líquidos na introdução alimentar: quando, quais e como oferecer ao seu bebê

Dessa forma, não pense que é algo que só acontece com o seu bebê, não é. Como em outras situações da maternidade, lembre-se que cada bebê e único e reage de uma forma diante delas. Algumas sentem mais, outros menos. O médico é quem vai diagnosticar se é cólica mesmo. 

De mãe para mãe, o que eu posso aconselhar é que, apesar do choro inconsolável, você deve manter a calma e acolher o seu bebê. Eu sei que na hora isso não é tão fácil, você pode se sentir aflita e preocupada. Mesmo assim, lembre-se que o seu bebê sente o que você sente. 

Tenha segurança, sabendo que é algo normal do corpinho dele e que ela vai passar. O médico vai orientar do que fazer, compressas ou massagens. 

Quanto a alimentação, claro que toda mãe que amamenta cuida da dieta alimentar, mas se as cólicas persistirem, procure ajuda de profissionais da saúde. Eles podem auxiliar você e o bebê com diagnóstico e tratamento.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE