Como a alimentação da mãe influencia o bebê?

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

Alimentação da mãe na gestação e amamentação

Você já parou para pensar sobre como a alimentação da mãe influencia o bebê em seu desenvolvimento, tanto na gestação quanto na amamentação?

Muitas mães se preocupam com a alimentação de seus filhos mas acabam esquecendo de cuidar da própria alimentação.

Você faz ideia de como deve ser o cardápio da mãe na gestação?

O que ela deve comer e o que evitar?

No artigo de hoje eu vou tirar todas as dúvidas sobre este assunto.

E também vou tirar dúvidas sobre como a alimentação da mãe influencia o bebê na amamentação.

Será que é verdade que alguns alimentos podem provocar cólicas na criança?

E como no geral a alimentação da mãe pode contribuir para uma boa introdução alimentar posteriormente?

Continue a leitura para descobrir.

E a alimentação da mãe, como vai?

Como anda a sua alimentação, mamãe?

Está boa? Ruim?

Talvez você esteja neste blog procurando informações para alimentar melhor o seu bebê.

Se você está aqui para aprender mais sobre alimentação infantil, amamentação e introdução alimentar, meus parabéns!

Você está certíssima em buscar informação sobre estes assuntos tão importantes.

Mas o que vou te falar agora vai fazer você prestar mais atenção em um detalhe que talvez estava esquecido.

Você é o que você come!

Você é o que você come. Como a alimentação da mãe influencia o bebê

Você já ouviu aquela frase “Somos o que comemos”?

Com certeza já!

Esta frase é muito conhecida e devemos concordar que realmente faz todo o sentido.

Ainda mais para pessoas que sabem a importância de uma alimentação saudável e balanceada.

O que poucas pessoas sabem é que nós começamos a nossa relação com os alimentos muito antes de nascer.

Ainda na barriga da mãe, quando todos os nutrientes ainda são transportados através do cordão umbilical e da placenta, o bebê já está exposto às consequências, sejam boas ou ruins, da alimentação ofertada à ele através da mãe.  

Por isso é tão importante falarmos sobre como a alimentação da mãe influencia o bebê na gestação.

E você sabe quando deve começar a se preocupar?

Bem alimentada desde… sempre!

Vou ser direta com a resposta: cuidar da sua alimentação deveria ser uma prioridade desde sempre.

A verdade é que a sua alimentação influencia o seu bebê desde o primeiro dia de gestação.

Nesta fase geralmente você nem sabe que está grávida, mas o que você come e bebe já está sendo relevante para o pequeno embrião.

Por isso, muitos médicos defendem que os cuidados com a alimentação devem começar antes mesmo da mulher engravidar.

Pois um cardápio balanceado e saudável pode ajudar até mesmo a aumentar a fertilidade de quem está planejando ter um filho.

Para quem já está grávida os cuidados devem ser ainda mais intensos.

Os primeiros 1000 dias da alimentação do bebê.

Os mil dias

A relação entre a sua alimentação e a do seu bebê é muito importante para que ambos mantenham a saúde em ordem.

Mas também é determinante para que a introdução alimentar que nós tanto falamos aqui no blog seja bem sucedida.

Na verdade, os primeiros mil dias da vida do seu bebê, contados a partir do momento da concepção, são cruciais para que ele desenvolva hábitos alimentares saudáveis para vida toda.

Os mil dias abrangem as fases de gestação, amamentação e introdução de alimentos sólidos da criança, terminando por volta de 2 anos.

E é muito importante investir em educação alimentar nesta fase.

O caminho para que a criança construa hábitos alimentares saudáveis que serão levados por toda a vida é  “Aprender a comer”.

E isso é uma coisa que só se aprende experimentando.

Mas você pode estar pensando o que isso tem a ver com a sua alimentação?

Bom… A verdade é que tem tudo a ver.

Como a alimentação da mãe influencia o bebê na Introdução Alimentar?

Como a alimentação da mãe influencia o bebê na Introdução Alimentar

Se você não leu nenhum dos meus artigos sobre Introdução Alimentar Infantil eu recomendo que você leia este aqui: Como começar a Introdução Alimentar aos 6 meses.

É muito importante entender que o objetivo da I.A é ensinar a criança a comer.

Por incrível que pareça os hábitos da mãe influenciam totalmente neste aprendizado.

Para se ter uma ideia, um dos fatores mais importantes para que a criança construa bons hábitos alimentares é justamente apresentar a ela diversidade de alimentos saudáveis, certo?

Pois bem!

Mas não devemos pensar que essa exposição só começa na introdução de alimentos sólidos aos seis meses.

Na verdade, a partir do último trimestre da gravidez o bebê já pode até sentir o gosto dos alimentos ingeridos pela mãe, através do líquido amniótico, sabia disso?

Eles são capazes até mesmo de fazer caretas quando não gostam de algum sabor.

Sendo assim, você precisa ter em mente que cuidar da sua alimentação durante a gravidez é importante não só para evitar doenças e ajudar no desenvolvimento físico do seu bebê.

Mas também para começar a estimular seu filho a conhecer os sabores e ter contato com os alimentos, mesmo que de uma forma indireta.

Em outras palavras, o seu bebê já tem contato com os alimentos através de você desde a barriga.

Bebês de mães que possuem uma alimentação variada e saudável têm mais chances de sucesso na introdução alimentar.

Sendo assim, vamos tirar algumas dúvidas sobre como deve ser a alimentação da mãe na gestação e amamentação.

Como a alimentação da mãe influencia o bebê na gestação?

Alimentação na gestação.

Bom, agora que você já entendeu como a alimentação da mãe influencia o bebê vamos à algumas orientações.

Se você está gestante é importante tomar alguns cuidados.

O que você deve evitar:

  • Evite seguir dietas muito restritivas;
  • Alimentos ricos em gorduras saturadas (frituras, manteiga, gordura vegetal);
  • Açúcares em excesso;
  • Cafeína;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Refrigerantes;
  • Alimentos condimentados;
  • Legumes e verduras mal lavados;
  • Proteína animal crua ou mal cozida;

Entenda mãe, o equilíbrio é a chave.

Nem tudo dessa lista é proibido, mas você deve evitar pelo bem do seu bebê.

Café por exemplo, pode ser tomado em pequenas doses. Um docinho de vez em quando também não faz mal.

Mas bebida alcoólica e nicotina nem pensar, ok?!

No mais, tenha em mente que exageros nunca são bem-vindos.

Lembre-se que para um bom desenvolvimento do bebê o organismo precisará de carboidratos de boa qualidade, cálcio, ferro, Ômega 3, o famoso ácido fólico, proteínas e outras tantas vitaminas que só podem ser encontradas em alimentos como:

  • Carnes, peixes de água doce e ovos bem cozidos;
  • Grãos;
  • Vegetais como couve, espinafre, brócolis;
  • Gorduras de boa qualidade (abacates, óleos vegetais, sementes);
  • Leite e seus derivados.

Alimentação da mãe: qualidade e não quantidade!

Esqueça essa história de comer por dois.

A qualidade da alimentação da mãe é mais importante que a quantidade, mas é normal você sentir mais fome.

Para ter certeza das proporções indicadas para cada biotipo e cada fase, tanto da gestação quanto da amamentação, o recomendado é consultar o seu médico e nutricionista.

É importante acompanhar o ganho de peso na gravidez e manter os exames em dia, assim carências nutricionais podem ser identificadas e se for necessário o nutricionista pode indicar uma suplementação.

Porém cada caso é um caso e por isso o acompanhamento profissional é sempre o melhor caminho.

Como a alimentação da mãe influencia o bebê na amamentação?

Como a alimentação da mãe influencia o bebê na amamentação.

Sim, a alimentação da mãe influencia o bebê na amamentação também.

No entanto, aqui a má alimentação pode prejudicar mais a mãe do que a criança.

Veja bem, nesta fase seus gastos energéticos ainda estão elevados.

E se você não se alimenta bem o organismo trata logo de reservar os melhores micronutrientes para a produção do leite.

Ou seja, se faltar nutrientes para alguém será para você.

Por isso é comum algumas mulheres sofrerem com anemia no pós-parto.

Mas não pense que o bebê está livre das consequências de uma má nutrição materna nesta fase, pelo contrário.

Tudo o que você come pode influenciar o bebê através do leite.

Observe que algumas substâncias que você consumir sendo lactante podem passar para o leite e causar até mesmo as terríveis cólicas.

Eu poderia até dizer que alimentos como brócolis, feijão, repolho, cebola e leite de vaca são mais propensos a causar esse efeito e devem ser evitados.

Mas a verdade é que isso não é regra, cada criança pode reagir de um jeito.

E se você sentir que não faz mal ao seu bebê não há motivo para parar de consumir.

Na amamentação é preciso confiar na observação.

Então vale a pena observar e confiar nos seus instintos.

Como a alimentação da mãe durante a amamentação colabora com a Introdução Alimentar do bebê?

 Como a amamentação influencia na Introdução Alimentar.

A amamentação também pode contribuir para que a Introdução Alimentar seja bem sucedida.

O leite materno não é sempre igual, alguns alimentos ingeridos pela mãe podem alterar, ainda que minimamente, o sabor do leitinho.

Sendo assim, podemos considerar que o bebê também está em contato com os alimentos através do leite materno, mesmo que indiretamente.

Não é possível dizer com exatidão quais são os alimentos que causam essas alterações no sabor do leite.

Mas podemos afirmar que o recomendado é sempre buscar manter uma alimentação variada, com alimentos saudáveis.

Por isso é importante continuar se cuidando, pelo bem dos dois.

No geral, os mesmos hábitos alimentares que você construir na gestação poderão ser mantidos na amamentação.

Pense em sua alimentação com carinho!

Pense em você com carinho. alimentação da mãe

Agora que você já sabe como a alimentação da mãe influencia o bebê talvez você queira começar a cuidar melhor do seu cardápio, pelo bem do seu filho.

Mas não é só o bebê que se beneficia quando você cuida da alimentação.

É indiscutível a importância de uma boa nutrição para que você também se mantenha saudável, tanto na amamentação quanto na gestação.

Afinal, você terá um gasto energético maior para suprir as suas necessidades e as do seu bebê, e o seu corpo precisará de alimentos de boa qualidade para mantê-la saudável.

Sendo assim, podemos dizer que você tem dupla responsabilidade com as suas escolhas alimentares.

Vantagens de uma boa alimentação para a mãe.

 Vantagens de uma boa alimentação para a mãe.

Veja abaixo algumas vantagens de se cuidar nesta etapa tão importante da sua vida.

Manter a sua alimentação saudável:

  • Ajuda a evitar doenças como diabetes gestacional e anemia;
  • Controla o ganho de peso (Apenas o seu nutricionista poderá dizer qual o peso ideal que você pode chegar, se estiver com dúvidas marque uma consulta) ;
  • Ajuda nas alterações de humor frequentes na gravidez;
  • Ajuda a equilibrar sintomas como enjoos, cansaço etc.
  • Ajuda seu corpo a se recuperar mais rápido pós-gravidez;
  • Ajuda a manter a flora intestinal em ordem.

Esses são apenas alguns dos benefícios que você terá ao se alimentar corretamente.

Poderíamos ainda estudar os benefícios individuais que cada alimento pode oferecer às grávidas e lactantes.

Mas é importante consultar um nutricionista para receber a orientação adequada sobre os alimentos que devem ser ingeridos e aqueles que devem ser evitados.

Sabemos que alguns alimentos como peixes de grande porte (com altas cargas de mercúrio e metais pesados) podem prejudicar o bebê.

Por outro lado, alguns alimentos podem até evitar o desenvolvimento de doenças.

Mas o mais importante é sempre tentar escolher aquilo que for natural e saudável, sempre variando os alimentos.

E como fica a alimentação da mãe depois do desmame?

E depois do desmame? Hábitos alimentares familiares

Você precisa ter a consciência de que a sua alimentação deve ser um ítem importante em toda a sua vida, não apenas quando estiver grávida ou amamentando.

Além de tudo o que já falamos até aqui, podemos dizer também que a alimentação da mãe influencia o bebê mesmo depois do desmame.

Afinal, você ainda terá a responsabilidade de incentivar o seu filho a comer coisas saudáveis.

E não tem como fazer isso dando mal exemplo. Concorda?

Seu filho precisa encontrar em você inspiração para fazer boas escolhas alimentares.

Boa parte do sucesso na introdução alimentar vem dos hábitos que a família possui.

Então, cultive hábitos saudáveis e seja um bom exemplo para o seu filho.

Conclusão

Neste artigo ficou claro como a alimentação da mãe influencia o bebê.

E como é importante ter um cardápio variado de alimentos saudáveis e evitar alimentos de má qualidade nutricional.

O primeiro contato que o bebê tem com os alimentos é através da mãe.

Por isso a sua alimentação contribui inclusive para o sucesso na introdução alimentar.

Você e seu bebê estão intimamente ligados pela alimentação, desde o dia da concepção até ele ser capaz de fazer boas escolhas alimentares.

Na verdade, toda a alimentação da mãe influencia diretamente ou indiretamente na construção dos bons hábitos.

É importante ter essa consciência.

A boa alimentação nesta etapa da vida representará saúde para a vida toda.

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

4 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE