Logo-Nutrinfantil-1-o8vzd89b5ve4lo9k1i536q1k6iwagw2cxu80fc4tng.png

Dicas Fáceis Para Introdução Alimentar

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

introdução-alimentar

Introdução Alimentar: Trabalho e dedicação em Família

Oie, tudo bem? A Introdução Alimentar é uma fase um pouco complicada. Dizemos isso, porque é algo novo, tanto para a criança, como para os pais. 

Para a criança, conhecer novos alimentos é novidade e para os pais, apresentar os alimentos corretos pode ser desesperador.


Em alguns casos, os pais nessa fase se sentem inseguros, visto que muitas crianças negam veemente o alimento ofertado. E com a negação, em vez de insistir um pouquinho mais na Introdução Alimentar, os pais acabam fazendo o que é mais fácil e que faça o bebê comer ou parar de chorar.

Entretanto, sabemos que por mais difícil que seja, a Introdução Alimentar deve ser feita pelo bem da saúde da criança. Para deixar essa fase mais assertiva e descomplicada, separamos algumas dicas que poderão ajudá-los nessa etapa tão importante da vida do seu filho.

7 Dicas Para A Introdução Alimentar do Bebê:

introdução alimentar

Sim, todos sabemos da importância dessa etapa. Mas, alguns pais devem estar pensando: “Claro que é fácil para você Camila, afinal, você é uma Nutricionista!” Não se engane, eu também passei por momentos de negação, mas não desistir é o ponto!

Para facilitar essa caminhada na Introdução Alimentar do bebê, existem alguns atalhos que os pais desconhecem. Meu papel é ajudá-los nesse percurso, mostrando que não é uma questão de ser fácil, mas sim, uma questão de educação em família.

Além disso, a Introdução Alimentar vai garantir para seu filho uma saúde melhor, uma alimentação equilibrada e é claro, uma criança segura e que come de tudo sem “frescura”.

Mas, como iniciar essa etapa? O que escolher para meu filho comer? Como devo proceder? Como devo cozinhar os alimentos? Aliás, quais são os alimentos recomendados a ele?

São tantas perguntas! E o momento da primeira papinha é algo inesquecível. São caras e bocas para algo novo na vida do bebê que merece estar registrado. Então, chega de conversa e vamos para as dicas.

Dica nº 1: Não Tenha Medo!

Os pais devem saber que não podem iniciar a Introdução Alimentar do seu filho com medo. Se a mãe, antes mesmo de começar a tentar, pensar que vai dar errado, ou ficar desconfiando que o bebê não irá aceitar, isso pode determinar o fracasso da missão.

Ao iniciar a Introdução Alimentar, acredite que vai dar tudo certo,  que vai ser legal, que seu filho vai aprender novos hábitos, que ele vai comer, que ele pode ter um lado desafiador, mas que vai dar tudo certo, além de ser divertido.

Entretanto, as expectativas não devem ser muito altas. Sabe por quê? Porque é normal que na primeira semana da nova alimentação a criança não coma absolutamente nada, pois, ela estará se adaptando a novidade e conhecendo os alimentos. Tudo é descoberta!

Cada criança possui o seu tempo e ela vai estar se ambientando para aquela novidade. Pense que durante 6 meses, seu bebê só tomou leite, por esse motivo ele pensa que o leite materno é seu único alimento.

Insegurança, medo de não fazer corretamente e até mesmo a frustração por não ver seu bebê comendo na primeira vez é normal acontecer, basta respirar fundo, aproveitar o tempo de descobertas e se divertir com seu filho.

Ao decorrer do tempo, ele vai sim aceitar os alimentos e tudo irá ficar mais fácil.

Dica nº 2: Seu Filho Deve Estar Descansado

Na hora de iniciar a Introdução Alimentar o descanso do seu filho vai fazer a diferença. Se o bebê estiver bem descansado e de bom humor, as chances dele ser mais receptivo com o alimento novo serão maiores.

Agora, se o bebê estiver com sono, inquieto ou estiver irritado, são grandes as chances dele não aceitar o alimento. Imagine seu bebê com sono, inquieto e você tentando oferecer algo que ele nunca experimentou antes. Imaginou?

A cena imaginada, não é agradável. O alimento é diferente do leite, pois quando o bebê está realizando a mamada, ele se sente relaxado, tranquilo e pode até acabar dormindo, pois, ele não está fazendo esforço para se alimentar.

Já com os alimentos é diferente, pois o bebê terá que se esforçar para conseguir comer, terá que fazer movimentos com sua mandíbula, músculos estarão trabalhando também. Então, além de estar experimentando algo novo, o bebê estará conhecendo seu próprio corpo.

Além disso, se o bebê estiver com sono ou inquieto, somado ao esforço de se alimentar, ela não vai aceitar e isso vai refletir em você. A mãe vai ficar tensa, nervosa e insegura e vai pensar que está fazendo algo de errado.

Então, essa é uma dica muito valiosa para que o processo tenha sucesso e que todos se sintam bem e confortáveis.

Dica nº 3: Bebê Confortavelmente Sentado

introdução alimentar

Outra dica que pode passar despercebida pelas mães na hora da transição alimentar. O bebê precisa se sentir confortável na hora da alimentação. Se seu filho ainda não está completamente firme para sentar.

É preciso sim que o bebê esteja confortável, por isso é preciso uma cadeirinha ideal.

Deixar seu bebê no carrinho enquanto você oferece os alimentos é errado. Se ele não está conseguindo sentar quase sem apoio, é preciso esperar mais alguns dias para a introdução alimentar (esse é um dos sinais de prontidão).

Dica nº 4: Papinha na Temperatura Correta

Quem não errou nessa etapa que atire a primeira pedra. Depois que isso acontece, vem a insegurança, o medo, a frustração da própria mãe. Sendo assim, ter certeza de que o alimento está na temperatura adequada é fundamental para a segurança do bebê.

A comidinha não pode estar quente demais, a ponto de queimar os lábios e língua do seu bebê, mas também não pode estar fria demais a ponto de se tornar ruim e até mesmo sem gosto.

Uma curiosidade é a temperatura que seu filho mais gosta. Algumas crianças podem preferir sua comidinha quase fria e se for esta a temperatura de aceitação e que ele coma, não há nada de errado em oferecer assim.

O importante é descobrir as preferências do seu bebê e ir se adaptando de acordo com os gostos dele. Mas, o imprescindível é não deixar de experimentar a papinha antes e testar em você mesma a temperatura da comidinha.

Dica nº5: Criança Vestida Corretamente

Outra dica que também é passada despercebida, mas que afeta diretamente na hora da introdução alimentar da criança. Seu bebê deve estar vestido adequadamente para a hora da comidinha.


Você deve vesti-lo de acordo com a temperatura da ocasião. Se é um dia muito quente, ele não deve vestir muita roupa e se estiver frio, não deve vestir pouco agasalhado, o importante é que ele esteja confortável.

E para deixar as mães mais tranquilas, opte por uma roupa velha, ou que seja aquela que ele possa se sujar e fazer bagunça. Muitas mães fazem com que a hora da comidinha seja especial e por este motivo possuem uma roupa própria para o momento.

Algumas mães compram o tecido e pedem para avó, tia, madrinha ou costureira fazer uma roupinha. É importante que o bebê esteja confortável, com uma roupa adequada, se quiser utilizar babadores próprios e fáceis de limpar ajuda, ou até mesmo em dias quentes, deixar o bebê sem roupa para poder rolar a bagunça.

Dica nº6: Linguinha Para Fora

Toda mãe presta bem atenção na hora da amamentação. O bebê tem um reflexo inato que faz com que a língua empurre para fora da boca, tudo o que for de consistência diferente da do leite materno.

Esse reflexo é chamado de “reflexo de protrusão da língua” e tende a desaparecer muito próximo aos seis meses do bebê.

É dessa maneira que o bebê realiza a sucção do leite e é dessa forma que ele ingere o líquido. Por isso que quando o bebê experimenta os alimentos pela primeira vez, ele acaba empurrando o alimento para fora.

Não é uma negação e sim uma reação do que ele já está acostumado a fazer. É algo involuntário, que faz ele colocar a linguinha para fora, na tentativa de realizar a sucção do alimento. É nesse momento que a mãe se frustra.

Ao ver seu bebê colocando a linguinha para fora, a mãe pode pensar que está acontecendo alguma coisa de errado com o filho, ou que a comida que ela preparou com tanto amor e dedicação está ruim.

Entretanto, não é isso que acontece, pois, o bebê está agindo de forma natural, algo involuntário e que você só precisa de paciência e prática. Com o passar do tempo, seu bebê vai descobrir a maneira correta de comer.

Dica nº7: Fase Oral na Introdução Alimentar

introdução alimentar

A fase Oral da criança estará acontecendo em conjunto com a introdução de alimentos. É nessa fase que a criança irá descobrir o mundo pelo paladar, sendo assim, tudo o que o bebê pegar para observar, brincar e tocar, vai parar em sua boca.

O bebê precisa entender que o leite só em si, não é mais o suficiente e que ele precisa se alimentar. Conhecendo os alimentos, desenvolvendo a musculatura e aprendendo a mastigar para fazer a troca. 
 
Para comer, o bebê vai precisar mastigar, fazer esforço e gastar mais energia e se a mãe sempre dar a opção da amamentação o bebê vai preferir o leito do que o alimento sólido.

Conheça o Curso de Introdução Alimentar

Se você deseja ser uma Mãe Segura e Confiante no caminho que conduz seu bebê, através de um passo a passo até a alimentação, sem estresse, sem medo e sem desespero. Conheça o Método Nutri Bebê de Introdução Alimentar.

Ao clicar no botão abaixo, você será redirecionada para a página oficial do meu curso.

Desenvolvi o programa, com todas as informações necessárias para o início da Alimentação.

Um programa completo, que vai guiar você e seu filho na jornada de uma alimentação adequada. Desta forma, você não vai se preocupar com possíveis doenças que seu filho pode ter no futuro por ter uma má alimentação.

Você não irá ter medo de doenças como, por exemplo: obesidade, anemia, entre outros.

Seu filho vai crescer forte e saudável! Se você deseja que seu bebê cresça bem nutrido e com uma saúde de ferro, você precisa do método Nutri Bebê.

Conheça um pouco do que você encontrará dentro do Programa.

– Como identificar os sinais de prontidão do seu bebê;
– Por que a Introdução Alimentar é importante?
– Será que o seu bebê está comendo o suficiente?
– Como preparar as comidinhas?
– Os erros mais comuns e como evitá-los;
– Os principais alimentos, hábitos e atitudes a serem incentivadas;
– Como corrigir erros, caso você tenha errado no começo;

E muito mais!

Invista em um programa que já foi testado e comprovado por centenas de alunas. Adquira hoje mesmo o programa e comprove você também.

Compartilhar

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Quem leu este post leu também

Blog
rgarciacolina@yahoo.com.br

Bebê com 4 meses pode comer papinha?

Com 4 meses, o bebê não pode ainda comer papinha nem nada. A princípio, nessa idade ele não está preparado. Logo, a introdução dos alimentos

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE