Recusa alimentar em bebê de 6 meses a 1 ano: o que fazer

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

A recusa alimentar em crianças de 6 meses a 1 ano é muito comum. Contudo, é importante saber como agir para que, apesar desta recusa, a criança aprenda sobre os alimentos e adquira hábitos alimentares saudáveis e isso não ocasione em uma posterior seletividade alimentar.

Nesta idade, de 6 meses a 1 ano, o bebê ainda está fazendo a introdução alimentar. Este é o período em que ele conhece os alimentos e aprende a comer, o que faz parte da sua educação nutricional.

Ela é essencial para qualquer criança, pois ao contrário do que muitos pensam, nós não nascemos sabendo comer e conhecendo os alimentos.  Do mesmo modo, ninguém aprende sozinho. Precisa sim de uma educação nutricional e isso é responsabilidade dos pais ou responsáveis.

Assim, nessa idade ainda é muito cedo para dizer que a criança já aprendeu a comer está recusando os alimentos. Existem várias outras razões que podem ocasionar esta recusa e isso não significa que se trata de uma seletividade alimentar.

Veja também: Como iniciar a introdução alimentar

As diferentes fases da recusa alimentar

A recusa alimentar tem 4 principais fases, são elas:

  • Aos 6 meses
  • Aos 10 meses
  • Com 1 ano
  • Acima de 2 anos

Para lidar com esta recusa, é fundamental conhecer a fase em que a criança está. Somente assim você vai entender o que acontece em cada idade e como agir para reverter a situação e ver o bebê se alimentando bem.

A princípio, sabe-se que toda mãe quer ver o seu filho comendo alimentos ricos em nutrientes e crescendo forte e saudável. No entanto, se a recusa alimentar se instalou na sua casa, não fique preocupada. Você vai entender porque isso aconteceu e vou dizer o que fazer.

Veja também: Descura como lidar como a seletividade alimentar

Rejeição dos alimentos pelos bebês de 6 meses

Bebe comendo

Esta é a fase que começa a introdução alimentar. Está muito no comecinho ainda e por isso é comum os bebês rejeitarem alguns alimentos. Perceba que até alguns dias atrás essa criança estava mamando, seja leite materno ou fórmula, bonitinho, no colo quentinho. 

De um dia para o outro, começaram a oferecer alimentos sólidos que ele nunca viu e nunca comeu. Este é um período de adaptação, de transição, para o bebê conhecer os novos alimentos. Existe uma dificuldade real e pôr a culpa no alimento é um erro.

Ele precisa ter contato com os alimentos, por isso começamos a introdução com apenas uma fruta. Depois incluímos o almoço e quando ele está aceitando bem, inclui-se o jantar. Tudo aos poucos para não haver grandes mudanças.

Esse aprendizado inclui ensinar sobre textura e o sabor de cada alimentos. Por isso é recomendado oferecer os alimentos individualmente. Só assim a criança vai realmente conhecer e identificar o que está comendo.

Recusa no bebê de 10 meses

Tem crianças que começam a introdução alimentar e logo estão comendo bem. Porém, por volta dos 10 meses, a mãe percebe que a criança parou de comer, começou a recusar e não gosta mais de alguns alimentos. 

Nesta fase a criança ainda está conhecendo e aprendendo sobre alimentação e a recusa pode ter relação com outros acontecimentos. Por exemplo:

  • Nascimento de algum dentinho
  • A criança está doente
  • A chegada de um irmãozinho
  • Uma mudança de casa
  • Algum conflito familiar
  • O retorno da mãe ao trabalho
  • Ida para a escola
  • Uma vacina

Tudo isso pode interferir na aceitação da do bebê. Assim, você não deve colocar a culpa no alimento, apenas incentivar, estimular e continuar oferecendo de diferentes maneiras. 

Está tudo bem também se ele não aceitar. É importante manter a calma e transmitir essa tranquilidade à criança.  Além disso, com 10 meses, o bebê ainda mama e o leite oferece o suporte nutricional que ele precisa.

Controle suas expectativas 

Muitas mães ficam ansiosas para iniciar a introdução alimentar dos filhos e fazem vários planos, compram utensílios e ficam com as expectativas lá em cima. Ainda assim, quando começam, elas percebem que não era tudo tão perfeito como pensaram e gostariam que fossem.  

Veja também: Melhores horários para alimentar o bebê na introdução alimentar

O bebê não começa a introdução alimentar comendo um pratão. Aliás, na maioria das vezes, ele não come mesmo. E está tudo bem! Não precisa ficar nervosa, preocupada ou culpada. 

É fundamental ter segurança, tranquilidade e persistência. Se ele comer, ótimo, se não comer, tudo bem. Amanhã é um outro dia e você vai voltar a oferecer. Foque na variedade e qualidade e não em quantidade.

Se o seu filho não come algum alimento com 6, 7 ou 8 meses, isso não significa que ele é seletivo. Ele simplesmente ainda não conhece os alimentos. Essa fase é de aprendizado e ele tem que aprender, conhecer e explorar para criar o paladar. Cabe a família estimular e não parar de oferecer o alimento. 

Não espere que a fase passe sozinha. Você agora sabe porque isso acontece e deve lidar de modo a ensiná-lo a comer e conhecer os alimentos.

Cada bebê é único, respeite o seu e siga no tempo dele. Não é porque o bebê da vizinha comeu tudo da primeira vez que o seu também deve comer. Equilibre as suas expectativas e foque na educação nutricional nos bebês de 6 meses a 1 ano.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Introdução alimentar

Receita de Papinha de Ameixa para Bebê

A ameixa é um ótimo alimento para oferecer ao seu bebê. Além de ser super saudável, ela ainda tem poder laxante para auxiliar na prisão

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE