Reflexo de Gag: o que é, o que fazer? – IA do Bebê

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

O reflexo de Gag é um termo novo para muitas mães. Eu o considero uma coisa boa e nesse artigo você vai saber o que é e o que fazer quando ele acontecer com seu bebê.

Gag é um reflexo natural de proteção da criança no qual o bebê vai pôr para fora aquele alimento muito grande que ele não consegue engolir. No início da introdução alimentar, é muito comum acontecer.

Isso porque o bebê ainda é novinho e os alimentos são uma novidade para ele. A criança não sabe lidar com a comida na boca, ele está acostumado apenas com o leite.

Quando isso acontece, o próprio bebê coloca para fora. O gag é uma coisa boa, porque se isso acontece, a criança não tem como engasgar. Seletividade alimentar

Ele é como uma ânsia, parece que o bebê vai vomitar, mas não é. Se o bebê tiver um gag, não é preciso fazer nada, você não deve fazer nada, como tentar tirar o alimento da boca.

Assim, apenas observe e veja a criança lidar com a situação. Se você tentar tirar o alimento da boca dele, aí sim corre o risco de enfiar ainda mais o alimento para a garganta e consequentemente, provocar um engasgo.  Deixe seu filho lidar sozinho e confie nele que dará tudo certo.

Reflexo de Gag x Engasgo

Muita gente vê a criança tendo o reflexo de gag e já pensa que é e engasgo e não é. O gag é como uma ânsia e isso serve para que o alimento volte.

O engasgo é quando realmente ela está com alimento parado na garganta e precisa de ajuda. Quando está engasgado, o bebê não respira e não tem nenhuma reação. 

Ele não consegue nem chorar. Nesse caso, é preciso uma manobra de Heimlich para tirar o alimento da via e assim ele voltar a respirar.

O engasgo propriamente dito é muito raro. Além disso, é mais comum com líquidos do que com alimentos sólidos. Provavelmente você já viu vários casos de engasgo com leite. 

Como evitar 

Para evitar o gag e, consequentemente, o engasgo, é fundamental começar a introdução alimentar apenas quando o bebê estiver preparado. Ou seja, com 6 meses e com todos os sinais de prontidão. 

Esses sinais são muito importantes, porque garantem que o bebê vai conseguir comer. Veja quais são:

  • O bebê consegue se sentar sozinho, sem apoio;
  • Ele já fica com a cabeça bem firme, sem tombar;
  • O bebê consegue levar os alimentos à boca;
  • Ele sabe comunicar quando está satisfeito.

Esses são os principais sinais de prontidão que você deve observar antes de começar a oferecer alimentos sólidos para o seu bebê.

Cuidados na hora da refeição

Além disso, alguns cuidados são necessários para garantir a segurança do bebê:

  • Tome sempre o cuidado de observá-lo enquanto come;
  • Nunca deixe ele sozinho;
  • Não permita que ele coloque nada estranho na boca;  
  • O bebê deve sempre estar sentado durante as refeições;
  • Ele deve ficar com a cabeça bem ereta;
  • Tenha um lugar apropriado e confortável para o bebê fazer as refeições.

É normal o bebê brincar com os alimentos e também é normal ter o gag. O método de introdução alimentar BLW, no qual o bebê se alimenta sozinho com os alimentos em pedaços, não influencia no engasgo, como muitos acreditam. 

No BLW precisa ter o corte seguro, de forma que o bebê consiga pegar o alimento e comer. Nos primeiros meses o bebê não consegue fazer a pinça então precisa pegar o alimento inteiro, por isso precisa ser alimentos com cortes longitudinais, compridos, mas finos. Se o bebê tem os sinais de prontidão, não precisa ter medo de engasgo.

Proteção para o bebê

Como você viu, o gag é um reflexo natural e esperado, uma proteção para o bebê não engasgar. É só uma ânsia. Não confunda com o engasgo, que é um dos principais medos das mães. 

A introdução alimentar é uma fase de transição e aprendizado para o bebê e o contato com os alimentos é fundamental. Horários na introdução alimentar

Quando a mãe tem medo do engasgo, acaba ficando com medo de oferecer alimentos sólidos e o bebê acaba tomando apenas leite ou alimentos pastosos para evitar o engasgo.

Isso pode prejudicar muito o aprendizado da criança. Quando ela fizer 1 ano, o leite será um complemento e ela não vai conseguir comer porque não aprendeu.

Então trabalha isso com você, esse seu medo do engasgo. Estuda, vai atrás, se sinta segura sabendo que você está fazendo para perder esse medo.

Confiança e segurança é fundamental tanto para a mãe como para o bebê. Se a mãe fica com medo, ela transmite isso para o bebê e ele não come. Por outro lado, se ela transmite confiança e segurança, ele aceita melhor os alimentos. 

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Introdução alimentar

Receita de Papinha de Ameixa para Bebê

A ameixa é um ótimo alimento para oferecer ao seu bebê. Além de ser super saudável, ela ainda tem poder laxante para auxiliar na prisão

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE