Alimentação para bebê de 4 meses: introdução alimentar, não cometa esse erro!

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

O seu bebê tem 4 meses e você está pensando se deve ou não começar a introdução alimentar? Não cometa esse erro. Todos os dias eu recebo mensagens de mães que querem começar a introdução alimentar porque precisam voltar a trabalhar ou porque o pediatra ou a mãe disseram para começar.

Primeiramente, você não pode se esquecer de que não somos nós que decidimos quando começar, mas sim o bebê. Onde ele fica nessa história? É ele quem fala que realmente precisa começar e que está preparado para comer. Provavelmente com 4 meses ele não está pronto. Como fazer espinafre para bebê na introdução alimentar

Quando você começa antes, uma série de erros começam a ser cometidos, na maioria das vezes sem querer, e a situação acaba virando uma “bola de neve”.  O bebê não vai aceitar os alimentos, você vai ficar preocupada porque ele não come, vai se sentir culpada e frustrada. 

Desesperada, querendo que o filho coma, você começará a oferecer alimentos pastosos ou líquidos mesmo e bater a comidinha no liquidificador, porque aí sim ele consegue comer. Na verdade, ele não comeu porque não consegue. Ele não está preparado. Não é culpa sua. Por isso é fundamental esperar o momento certo de começar. 

O momento certo

A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria é que comece em torno dos 6 meses. Isso porque é nessa idade que o bebê mostra os sinais de prontidão. 

Alguns desses sinais:

  1. Seu bebê consegue manter a cabeça erguida, sem apoio? O controle da cabecinha é importante para a alimentação e deglutição, evitando que ele engasgue.
  2. Seu filho consegue ficar ereto? Ele consegue se sentar sozinho, com o apoio da sua mão ou encostado em uma cadeira de alimentação? O bebê deve estar sempre sentado em posição vertical para comer, para garantir que possa engolir os alimentos corretamente.
  3. Ele consegue levar comida à boca? Nessa fase você já terá notado uma vontade incontrolável do seu bebê de levar tudo que pega à boca. É uma parte natural do aprendizado e do desenvolvimento sensorial.
  4. Seu bebê consegue comunicar que está satisfeito? Bebês têm uma capacidade mágica para nos dizer “não quero mais, por favor!”, mesmo quando estão mamando no peito ou na mamadeira. Todas nós, mães, já vivenciamos a cabecinha balançando ou indo para trás quando eles estão satisfeitos. 

Os principais erros da introdução alimentar precoce

Quando você começa antes da hora, uma série de erros acaba acontecendo:

  • O bebê começa a introdução alimentar com líquidos,
  • ou com alimentos pastosos, batidos no liquidificador, tudo junto e misturado,
  • Ele não aceita bem os novos alimentos,
  • Tem mais risco de engasgo,
  • Você fica desesperada e frustrada,
  • Não sabe a quem recorrer e quem pode te ajudar de fato,
  • ouve conselhos desatualizados de mãe, avós e até mesmo de profissionais,
  • futuramente essa criança não vai conseguir mastigar, porque não aprendeu,
  • como não teve mastigação, ela não fortaleceu os músculos e por isso demora mais para falar,
  • pode ser tornar uma criança seletiva.

    Horários das refeições na introdução alimentar

Enfim, acredito que nenhuma mãe quer passar por isso. Porém, cometendo esses erros nós dificultamos a introdução alimentar. Tudo isso por um simples erro: a gente não esperou o momento ideal para começar introdução alimentar. E quando o bebê não está preparado, fica cada vez mais difícil aceitação dos alimentos. introdução alimentar e amamentação

Com isso, entra nesse ciclo que eu acabei de listar. Assim, siga a recomendação, que é começar com os sinais de prontidão, em torno dos seis meses.  São os bebês que mandam, não podemos decidir por eles.

Vale a pena esperar

Bebês não falam, então eles expressam que estão prontos para a introdução alimentar com esses sinais de prontidão. Dessa forma, você pode ter certeza que é meio caminho andado para a formação dos hábitos alimentares saudáveis do seu filho. Respeite o tempo da criança, às vezes são poucos dias que a gente espera e o bebê dá se desenvolve mais. 

Agora, se por algum motivo, você não pode esperar, tem que voltar ao trabalho por exemplo, que tal aprender mais sobre congelamento de leite materno?  Isso mesmo, você pode tirar e deixar congelado, separado e à disposição para seu bebê quando você não estiver em casa.

Se não tem o suficiente, vamos procurar uma outra forma ou outro leite para oferecer para ele no lugar, existem ótimas opções de fórmulas no mercado. Mas não se apresse na introdução alimentar, fica tudo mais difícil quando a gente quer começar antes.Tipos de Alergia alimentar no bebê: como identificar sintomas e tratar

O bebê realmente não consegue comer nada aos 4 meses porque ele não sabe lidar com aquela textura que não seja líquida, como o leite. Por isso antigamente se começava a introdução com sucos e sopinhas líquidas. Hoje nós sabemos que isso atrapalha e atrasa muito a aceitação dos alimentos.

Até a musculatura na hora de mastigar e de falar também é prejudicada. Introdução alimentar é coisa séria, é uma fase de transição do leite para alimentos sólidos e, principalmente, de aprendizado pra o bebê. 

Ele precisa conhecer os alimentos para comer. Então, não custa esperar mais um pouquinho. Passa tão rápido que você vai ver que essa espera fará muita diferença e trará mais saúde para o seu bebê.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Introdução alimentar

Receita de Papinha de Ameixa para Bebê

A ameixa é um ótimo alimento para oferecer ao seu bebê. Além de ser super saudável, ela ainda tem poder laxante para auxiliar na prisão

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE