Como oferecer papinhas para bebês de 6 meses

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

Precisamos falar sobre papinhas para bebês de 6 meses. Sério!

Este certamente é um assunto importante se você tem um bebê de aproximadamente 6 meses.

Afinal, essa é a idade recomendada pela OMS para começar a introdução alimentar. E nessa fase os pais podem ficar perdidos com tanta novidade.

Eu fico feliz que você esteja buscando informação para fazer o melhor pelo seu bebê.

Acredite, muitos pais não fazem isso e acabam incentivando maus hábitos que serão levados pela vida toda pela criança.

Por isso eu me dedico sempre a alertar meus pacientes e seguidores sobre como fazer corretamente a introdução alimentar do bebê.

Afinal, a maneira como você ensina seu filho sobre os alimentos pode determinar uma vida inteira de bons hábitos alimentares e principalmente saúde.

Acredite, isso tem tudo a ver com as papinhas para bebês de 6 meses.

Neste artigo você vai descobrir se elas são nutritivas para o seu filho, e qual a maneira correta de preparar e começar a oferecer as comidinhas sólidas para que o seu bebê cresça forte e saudável.

Os mitos sobre criança saudável

Acredito que o seu sonho, assim como o de toda mãe ou pai, é ver seu filho crescer forte e saudável.

Pois é minha linda, o que acontece é que nós temos uma ideia distorcida de bebê fortinho.

Para a maioria das pessoas bebê que está crescendo forte e saudável é aquele bebê gordinho.

Pode perguntar para a sua avó, ela provavelmente vai ficar mais satisfeita se seu bebê tiver umas “dobrinhas”.

Mas a verdade é que nem sempre estar gordinho é estar saudável.

Essa imagem precisa mudar na sua mentalidade a partir de agora.

O bebê mais saudável não é o mais gordinho ou o mais magrinho, é o que está crescendo, se desenvolvendo e experimentando os alimentos (saudáveis, claro).

A fase da introdução alimentar não serve para engordar a criança, mas para ensinar.

Eu sempre repito isso porque muitos pais ainda não entendem, aliás eu escrevi um artigo completo sobre como começar a introdução alimentar do seu bebê, onde você pode saber mais sobre este tema.

Mas resumidamente, aos 6 meses seu filho precisa aprender sobre os alimentos. Os nutrientes principais continuam vindo do leitinho, seja materno ou fórmula infantil.

Isso dá tempo para ele experimentar, conhecer texturas, sabores, cheiros e criar a memória dos alimentos.

Quanto mais natural for esse processo, melhor.

E era aqui que eu queria chegar.

O maior erro em relação às papinhas para crianças de 6 meses

Na tentativa de fazer com que seu filho coma de tudo, você pode decidir escolher o caminho mais “fácil”:

Colocar tudo o que você quer que seu filho coma dentro de um liquidificador e bater o máximo possível.

Já viu alguém fazendo isso? Claro que já, porque eu estou falando das famosas papinhas liquidificadas.

É certamente a maneira mais comum entre os pais de se preparar papinhas para bebês de 6 meses ou mais.

Mas será que é a maneira mais recomendada?

Vamos lá, tire você mesma suas conclusões levando em consideração alguns fatores.

A verdade sobre as papinhas

Bom, considerando o que eu falei acima, a respeito de aprender sobre os alimentos, você pode estar se perguntando sobre como esse aprendizado acontece.

Eu diria que a melhor maneira é a criança ir tendo contato com cada alimento, com a maior variedade de alimentos possível, com as mais diversas formas de textura, cheiros, sabores, etc.

Agora eu gostaria que você imaginasse todos os alimentos batidos juntos e respondesse a si mesma essa pergunta:

Como seu filho poderá identificar e memorizar o sabor e textura de cada um desse alimentos individualmente se eles estão todos juntos e batidos?

Pois é, não tem como.

Papinhas para bebês de 6 meses só tem um sabor e uma textura: o de papinha.

Sendo assim, não é recomendado, mesmo que a papinha seja feita com alimentos muito nutritivos.

Isso também se aplica às papinhas industrializadas, mesmo aquelas que são feitas com ingredientes de boa qualidade e sem conservantes (sempre leia os rótulos).

De qualquer modo a textura e o sabor são sempre os mesmos.

Ou seja, o bebê até está comendo de tudo como você queria. Mas ele não está criando nenhuma memória sobre os alimentos.

É nossa responsabilidade como pais escrever as primeiras páginas do livro em branco que é o paladar dos nossos filhos.

Eles ainda não sabem de nada, eles vão aprender exatamente o que você ensinar.

Esta definitivamente não é a maneira correta de se oferecer os alimentos para os bebês, vou explicar um pouco o porquê.

Desvantagens de oferecer os alimentos “juntos e misturados”

Aqui estão algumas desvantagens de optar pelas papinhas liquidificadas na introdução alimentar do bebê.

  • A criança não aprende sobre a comida
  • Não conhece texturas diferentes
  • Não conhece os alimentos individualmente
  • Não aprende a tomar decisões
  • Não desenvolve o paladar
  • Não treina a mastigação
  • Pode desenvolver seletividade alimentar

Essas são apenas algumas das desvantagensde se oferecer as papinhas liquidificadas para bebês de 6 meses.

Quando você dá o alimento batido, todo junto, o alimento perde as características, ou seja, não tem a mesma textura, o mesmo sabor ou aroma.

As papinhas para bebês de 6 meses podem ter o sabor do alimento predominante mas mesmo assim é impossível para a criança ligar uma coisa a outra.

Ela não consegue identificar cada um individualmente.

Quando você tentar oferecer aquele alimento no futuro ela nem saberá que já comeu alguma vez na vida.

Já falei sobre isso, mas eu estou reforçando para termos uma visão a longo prazo.

Eu quero te mostrar o que acontece na maioria das vezes quando você decide trilhar o “caminho mais fácil”.

Por que parece mais fácil dar as papinhas liquidificadas para meu bebê?

Quando eu digo caminho mais fácil pode parecer que estou menosprezando os seus esforços, mas não é isso.

O que geralmente acontece é que muitos pais preferem as papinhas liquidificadas porque ficam desesperados para ver seus filhos comendo o máximo possível.

Isso faz parte da crença da qual falamos, de que a criança tem que comer bastante pra ficar “fortinha” e saudável.

As papinhas para bebês de 6 meses podem ser uma opção mais “fácil” de se oferecer já que elas são batidas, e mais parecidas com a textura que a criança já conhece, a do leitinho.

O que muita gente não sabe é que oferecendo a papinha enquanto a criança é um bebê, no futuro, ela pode ter dificuldades em gostar de comer alguns ou até muitos tipos de alimentos.

Entra em cena o que chamamos de seletividade alimentar.

O que é seletividade alimentar?

Queremos tanto que nossos filhos comam de tudo, imagina a frustração de quando eles vão crescendo e se tornando seletivos.

Para você entender melhor, sabe aquela criança chatinha que não gosta disso, não gosta daquilo?

Não come de tudo e em alguns casos não come quase nada?

Essa é uma criança com seletividade alimentar, que basicamente é a recusa de alimentos que possuem texturas, cores, temperaturas, cheiros e sabores que elas não suportam.

Um dos motivos que podem causar a seletividade alimentar é a falta do aprendizado na fase da introdução alimentar.

A relação da criança com o alimento é algo que deve ser trabalhado desde bebê, por isso é tão importante entender o objetivo da introdução alimentar.

Comer deve se tornar algo prazeroso e divertido para a criança, para que a relação dela com as comidinhas seja sempre a melhor possível, uma relação de prazer.

Muitas pessoas consideram normal a criança ter preferências alimentares, como todo mundo tem.

Pode ser comum, dada a quantidade de pessoas que são privadas de uma educação alimentar correta, mas normal não é.

Muito menos quando essas preferências não incluem alimentos saudáveis, ou priva a criança de alguma textura específica.

Algumas crianças seletivas chegam a passar mal só de olhar para alguns alimentos e isso não frescura, ela simplesmente não suporta aquela comida.

E nestes casos ela precisará de ajuda profissional para vencer essa barreira.

Claro que alguns hábitos podem ser mudados mesmo depois de algum tempo, mas você pode evitar que o seu filho se torne seletivo e incentivar hábitos saudáveis e melhores para ele desde bebê, para evitar situações como essas quando crescidos.

A importância de mastigar

A mastigação, além de ser um elemento importantíssimo para o processo digestivo, é essencial para treinar e fortalecer os músculos da face que serão necessários para o desenvolvimento da fala.

Então, se você quer ouvir seu filho falar “mamãe” ou “papai” incentive a mastigação.

Mastigar também é importante para construir uma boa relação com a comida.

Algumas crianças que recebem muitos alimentos pastosos ou líquidos, como as papinhas, acabam ficando preguiçosas em relação à mastigação.

A verdade é que o seu bebê não entende o que é melhor para ele e sempre vai preferir o que for mais fácil.

Quanto mais líquido o alimento, mais fácil será para o bebê, porque será parecido com o “mamá”, que ele já conhece bem e ama mais que tudo.

No entanto, se você ceder a essa preferência, ele pode se tornar uma criança seletiva e preferir sempre tudo amassadinho ou o mais líquido possível.

Isso não é recomendado e esse comportamento jamais deve ser incentivado.

Então, como devo oferecer os alimentos para meu bebê?

Eu disse para você tirar as suas próprias conclusões, o que você achou até aqui?

A respeito das papinhas liquidificadas, eu afirmo que não é recomendado oferecer dessa forma.

Por mais que seu filho fique com alguém durante o dia, porque você precisa trabalhar, oriente essa pessoa a forma que ela deve alimentá-lo.

Eu vou explicar como você deve preparar as papinhas para crianças de 6 meses, para que o seu filho tenha boa relação com as comidinhas, desenvolva-se e torne-se a criança dos sonhos, aquela que come de tudo.

Você vai ver que não tem segredo algum.

Cada um por si!

Agora você pode estar se perguntando, como então preparar as papinhas para bebês de 6 meses?

Então vamos lá, a forma recomendada de oferecer as comidinhas para o seu bebê é simples.

Você pode preparar os alimentos cozidos mesmo, apenas serão oferecidos separadamente.

É só seguir essas orientações:

  • Nunca misturar tudo
  • Não usar liquidificador, nem processadores, nem peneiras
  • Oferecer em pedaços ou apenas amassar com um garfo (depende do método escolhido)

Fica mais ou menos assim:

Feito isso, você oferece cada alimento separadamente, para que seu filho comece a formar o paladar, identificando cada um individualmente.

Por exemplo, se você for oferecer uma carne e um legume, separe os dois no prato e ofereça separadamente para seu filho conhecer o sabor e as texturas.

No começo pode ser bem amassadinho com o garfo, com o passar do tempo vai deixando os pedaços dos alimentos cada vez maiores, até ficarem inteiros como dos adultos da casa.

Só isso. Fácil, não é? Não tem segredo.

Posso temperar?

 Você pode usar temperos naturais, como alho, cebola, salsinha etc…

Não precisa colocar sal. Muito menos temperos industrializados.

Ou você pode só cozinhar e não colocar tempero nenhum.

Primeiro porque o sal não faz bem mesmo, segundo porque estamos ensinando a criança a comer, quanto mais original o sabor, melhor o aprendizado.

E se ele não quer comer?

Lembre-se que quando você começa a oferecer as papinhas para seu bebê, você está começando a introdução alimentar, a fase de aprendizado que falamos durante todo este artigo.

Pode ser que você fique apavorada achando que seu filho não está comendo o suficiente e chegue até a pensar:

“Meu filho está morrendo de fome, não comeu nada”.

Nessa hora você vai pensar em oferecer a papinha liquidificada, com toda a comida que você acha que ele deve comer.

Guarde isso que eu vou te dizer:

O seu filho está bem! Ele não está com fome e muito menos desnutrido.

Até 1 ano o principal alimento ainda é o leitinho. E no leite tem todos os nutrientes para que ele fique bem nutrido.

A única coisa que você precisa se preocupar é com a qualidade do aprendizado que você vai oferecer para o seu bebê.

Não se preocupe com a quantidade, deixe que ele decida. E tire da cabeça que ele está com fome, porque ele não está.

No começo ele vai comer pouquinho, até porque ele ainda não sabe comer.

Todo aprendizado leva um tempo, seja falar, andar, até dar “tchauzinho” e não seria diferente com aprender a comer.

Faça com que os momentos das refeições sejam agradáveis.

  • Não use distrações, como televisão na hora da refeição.
  • Incentive a atenção total do seu filho nos alimentos.
  • Não fique correndo atrás do seu filho com a comida.
  • Não se preocupe com a quantidade.
  • Incentive, mas não force seu filho a comer.
  • Não dê a mamadeira toda vez que ele não quiser a comidinha.

A minha principal dica é: paciência!

Concluindo

Neste artigo nós vimos como preparar e oferecer as papinhas para bebês de 6 meses.

Vimos principalmente que oferecer os alimentos batidos e misturados não é recomendado.

A melhor maneira é sempre oferecer os alimentos separadamente para que o bebê identifique cada um e no futuro aceite com facilidade na alimentação.

Oferecer as comidinhas assim pode parecer mais difícil, principalmente se você trabalha o dia todo e precisa adaptar a rotina para dar conta de tudo.

Mas não desanime e não ceda à tentação de oferecer as papinhas liquidificadas ou até as industrializadas.

Todo seu esforço valerá a pena e você sentirá orgulho de ter seguido o caminho recomendado quando você perceber que seu filho está comendo de tudo, com uma alimentação saudável e balanceada.

Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários 🙂

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

30 respostas

    1. Oi Dr. Camila! Amei o artigo. Mas, como fazer pra quem já começou errado???? Meu bebê tem 9 meses, ofereço papinhas que eu mesma faço só amassando com o garfo (mas misturo tudo!), e ele é BEM difícil de comer. Se depender dele são 2 colheres é só. Ama um ovo cozido, é o que está salvando. Como faço pra corrigir isso? Começo a separar tudo de um dia pro outro? Obrigada!

  1. Oi Camila boa noite! Por favor tenho uma menina de 7 meses tendo estou introduzindo a comida e amasso deixo os pedacinhos ela engasga….. O que posso fazer ela não está mastigando…. Me oriente por favor. Obrigada

    1. Oi Glaucia! A mastigação é um aprendizado, é preciso estimular para ela aprender a comer! O reflexo de GAG é natural, todos fazem! O engasgo mesmo que não é! É preciso oferecer para ela aprender 😉

  2. Quero agradecer pelo excelente artigo,tenho certeza que estou fazendo correto com suas orientações, minha bebê tem 7 meses e cada dia oferto para ela uma papinha de verduras diferente.gostaria de saber se posso ofertar feijão?

  3. O artigo é muito consistente e tira muitas dúvidas além de mostrar uma nova forma de entender sobre a alimentação dos bebês a partir dos 6meses. Adorei as orientações espero continuar recebendo informações que servirá no início da alimentação do meu filho.

  4. Olá Dra Camila! Os seus artigos são excelentes. Tudo o que mais precisamos nesse momento é de praticidade. Parabéns! Tenho uma dúvida: aos 6 meses já posso oferecer água, certo? Como farei isso se o meu bebê ainda amamenta? Como intercalar? Ofereço na mamadeira ou copinho (meu bebê nunca experimentou mamadeira nesses 5 meses da minha licença maternidade)? Aos 6 meses começo com a mamadeira por causa do meu retorno ao trabalho? Obrigada. ; )

  5. Moro com minha sogra, e ela quer que passe tudo no liquidificador e ainda peneire, sem contar que ela quer que o meu filho coma muito em torno de 130g, ele tá com 6 meses, e como ele toma 200ml de fórmula, a minha sogra acha que a comida deve ser praticamente a mesma quantidade. Não sei o que faço.

  6. Muito bom!! Adorei. Linguagem simples e de fácil entendimento, principalmente quando dá exemplos práticos. Mamãe de primeira viagem agradece!!!

  7. Camila, meu filho completará 6m no final deste mês e iniciaremos a introdução alimentar, por isso tenho buscado informações a respeito e descobri você.
    Li alguns de seus artigos. (Muito bons!)
    E estou com uma dúvida: vc sugere manter o alimento o mais próximo de seu natural possível (legume, carne, fruta) mas meu filho ainda não tem dentes… Como devo fazer?

  8. Olá, Dra. Camila! Poderia me ajudar. Minha bebê tem 1 ano e 5 meses. Li todo o artigo e vejo que estou cometendo o erro de ceder, devido a recusa da minha bebê, as papinhas liquidificadas. Tento durante o almoço sempre oferecer a comida separada, mas ela só brinca e acaba não comendo. Em seguida, com medo dela ficar sem os nutrientes, acabo liquidificando o alimento e ela, dessa forma, ingere. Tenho medo de tentar pelo método correto e ela ter algum problema de desnutrição. Seu peso está na média e ela toma ainda leite materno. Poderia dizer se procede esse meu medo? Se ainda tenho chances de reverter no caso dela? As vezes fico colocando na balança o que seria pior: não comer ou comer errado. Estou bastante perdida! Sem contar que todos ficam sempre surpresos quando falo isso, que parece não ter ocorrido com a mamães que converso. Agradeço se puder me dar uma direção! Muitooo obrigada pelos excelentes materiais compartilhados!

  9. Oi Camila, estou lendo seus artigos e as informações estão bem claras e objetivas. Estou adorando! Porém tenho uma dúvida.
    Como oferecer a carne e o frango? Corto em pedaços bem pequenos ou desfio? Tenho medo do bebê engasgar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE