Líquidos na introdução alimentar: quando, quais e como oferecer ao seu bebê

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

Muitas mães me perguntam sobre líquidos na introdução alimentar. Afinal, quando, de fato, é o momento de começar a oferecer água, chá, água de coco e sucos naturais para os nossos bebês?

Bom, este assunto gera muita confusão para as mães, mas a nossa vida é um eterno aprendizado, não é mesmo?

Quem diria que um dia nós teríamos dúvida sobre dar ou não água para nossos filhos.

É por isso que estamos aqui para nos ajudar, e isso também serve para os pais, avós e cuidadores que me acompanham aqui no blog.

A verdade é que esse é um dos temas cruciais da introdução alimentar dos nossos bebês, que gera muitas dúvidas e erros.

Mas fica tranquila que também não é nenhum bicho de sete cabeças. Se você seguir as orientações que eu vou dar neste artigo vai dar tudo certo.

Você vai entender como iniciar líquidos na introdução alimentar do seu bebê da maneira mais saudável.

Eu vou tirar todas as suas dúvidas e juntas nós vamos acabar com os mitos que existem sobre este assunto tão importante para a saúde dos nossos pequenos.

Vamos lá?

Afinal, quando incluir líquidos na introdução alimentar?

Essa é a principal dúvida da maioria das mães: “quando é o momento certo de introduzir os líquidos na alimentação do meu bebê?”.

Para responder essa pergunta de uma forma mais assertiva, vamos imaginar três fases diferentes do bebê.

Depois eu vou falar um pouco de cada uma das principais bebidas que as mães costumam oferecer e como deve ser a introdução de cada uma na alimentação.

Então vamos às três fases:

Antes dos 6 meses

Nesta fase da criança a única fonte de alimentação deve ser o leite materno ou a fórmula infantil.

Então, antes dos 6 meses você não deve oferecer nenhum tipo de líquido para o seu bebê que não seja o leite materno.

Aí você pode me perguntar: “Mas Camila, nem água?”

A resposta para essa pergunta é simples: não, nem água. Nada além do leitinho.

A verdade é que não tem necessidade de dar água para a criança antes dos 6 meses, o leite materno tem todos os nutrientes necessários para o bebê e é o suficiente para que ele fique hidratado, nutrido e saudável.

Nesta fase o estômago do bebê é bem pequenininho, por isso se você oferecer água ou qualquer outro tipo de líquido, o espaço do leitinho vai ficar comprometido, provocando uma sensação de saciedade.

Além disso, para dar água algumas mães utilizam mamadeiras que podem incentivar o desmame precoce. Até os 6 meses não podemos correr esse risco.

O mesmo se aplica aos chazinhos. Muitas mães recorrem a eles para tentar amenizar as cólicas ou ajudar o bebê a dormir, mas até os 6 meses não deve ser oferecido.

O recomendado é que até os 6 meses se ofereça somente o leite materno ou fórmula infantil, justamente para priorizar a nutrição e desenvolvimento do bebê.

Dos 6 meses a 1 ano

Quando o bebê completa 6 meses finalmente começamos a introduzir alimentos sólidos na alimentação.

É aí que começa a surgir algumas outras dúvidas sobre líquidos na introdução alimentar.

Aliás, eu escrevi um artigo completo sobre como começar a introdução alimentar do seu bebê, eu recomendo que você leia para entender o verdadeiro objetivo da introdução alimentar e como oferecer as comidinhas para o seu filho da maneira mais saudável.

Eu digo isso porque muita gente me pergunta se pode começar a introdução alimentar oferecendo o suquinho para a criança, afinal ela já está acostumada a ingerir líquidos, vai ser bem mais fácil, certo?

Errado! Antigamente era essa a orientação, mas hoje não é recomendado e sabemos que não é o ideal.

Eu vou falar um pouco mais sobre o suco mais adiante, mas o que posso adiantar é que a fase da introdução alimentar deve ser uma fase de aprendizado.

Quando o bebê toma um suco ele perde a oportunidade de conhecer a textura, o aroma e às vezes até o sabor original da fruta.

Além disso, a fruta, depois de processada, aglomera um teor de açúcar muito alto e perde muitos nutrientes, especialmente a fibra.

Resumindo, suco não é recomendado, prefira sempre a fruta.

Água você pode oferecer à vontade. Chá e água de coco podem ser oferecidos de vez em quando em pequenas quantidades.

Mais à frente eu faço algumas observações sobre cada uma dessas bebidas individualmente para não restar dúvida sobre como incluir esses líquidos na introdução alimentar do seu filho.

A partir de 1 ano

Depois de 1 ano os líquidos já estão liberados na introdução alimentar dos nossos bebês.

Água à vontade. Em livre demanda, ofereça sempre!

Com relação aos sucos, chás e água de coco podem ser oferecidos também, desde que você observe as orientações que vou citar a seguir.

Vamos entender um pouco sobre quais cuidados devemos ter em relação a cada líquido.

Como introduzir água, chás, sucos e água de coco na alimentação do bebê?

Nós já falamos o quanto é importante esperar o período certo para oferecer cada bebida para o seu bebê, mas e quando chega a hora de finalmente oferecer as bebidinhas, como fazer isso da maneira mais saudável?

Vamos entender como lidar com cada tipo de líquido.

Água

Como já falamos, a água pode e deve ser oferecida à vontade depois dos 6 meses. A água é o mais importante dos líquidos na introdução alimentar do bebê.

Uma ótima dica caso o seu bebê demonstre desinteresse pela água é saborizar colocando pedaços de frutas para dar um saborzinho e um aroma.

Depois, quando ele finalmente estiver mais habituado, você pode começar a oferecer a bebida pura.

Isso vale também para crianças que só tomam suco e que precisam aprender a tomar água.

Sucos naturais

Aqui eu reforço que não é recomendado antes de 1 ano, por vários motivos.

O bebê não aprende nada tomando suco. Não exercita a mastigação, não conhece texturas, perde diversos nutrientes que a fruta poderia oferecer e, principalmente, ingere muito mais açúcar do que deveria.

Até mesmo depois de 1 ano, quando o suquinho já está liberado, eu aconselho que você só ofereça se for um costume da família.

Ou seja, se a família gosta de tomar suco e quer oferecer para a criança, pode dar em pequenas quantidades. Porém eu aconselho que este hábito não seja incentivado.

Uma reflexão que eu sempre faço com relação ao suco é a seguinte, se você der uma laranja para a criança ela vai comer 1 fruta, certo?

Se você fizer um suco, quantas laranjas serão necessárias para um fazer um copo? Pelo menos umas 3.

Sabe o que isso significa? Uma carga altíssima de açúcar e calorias desnecessárias na alimentação do seu filho, sem fibras e sem os micronutrientes que a fruta em si poderia oferecer.

Por isso aconselho que dê apenas de vez em quando.

Chás

O chazinho você pode oferecer em pequenas quantidades de vez em quando a partir dos 6 meses, desde que não tenha cafeína e nem adição de açúcar.

O que eu sempre ressalto a respeito do chá é que deve ser usado somente para fins terapêuticos, ou seja, um chazinho de camomila de vez em quando para ajudar a acalmar ou para tratar um enjoo ou algo do tipo, somente nesses casos seguindo essas recomendações.

Água de coco

Pode ser oferecida de vez em quando em pequenas quantidades a partir dos 6 meses, mas nunca deve ser usada para substituir a água.

Quando o assunto é líquido, a água é sempre a melhor opção!

É isso! A respeito de como oferecer os líquidos na introdução alimentar, essas são as recomendações que você observar.

Agora vamos entender o que pode acontecer com a introdução precoce de líquidos na alimentação do seu bebê?

7 consequências de incluir líquidos precocemente na alimentação do bebê

Nós vimos até aqui quando e como começar com os líquidos na introdução alimentar dos bebês, essas orientações servem para que seu filho tenha todos os micronutrientes necessários à disposição dele e cresça saudável.

Serve também para evitar problemas de saúde que poderiam surgir na infância e se estender até a fase adulta.

Coisas que você pode ajudar a evitar simplesmente fazendo a introdução alimentar da maneira correta.

Nesta fase as mães precisam ter pulso firme para não ceder aos famosos “pitacos”.

Afinal sempre tem uma avó, uma tia, uma amiga ou qualquer outra pessoa para dizer “Ah, mas eu fazia assim com meus filhos e hoje eles estão aí firmes e fortes”.

A verdade é que nós não queremos apenas filhos criados, queremos filhos que terão qualidade de vida e saúde no futuro.

Isso tudo pode começar pelo aprendizado que você vai dar a ele através dos alimentos.

Vamos falar de algumas consequências de incluir líquidos na introdução alimentar precocemente.

1 – O bebê pode ficar saciado e não querer mamar

Nós já falamos sobre isso no começo deste artigo e isso é muito sério!

O estômago do bebê é bem pequenininho e cabe pouca coisa. Se você oferecer água, chá, suco ou água de coco precocemente, ele não terá espaço no estômago para os outros alimentos. Vai se sentir saciado e deixar de ingerir as calorias e micronutrientes mais importantes, que estão no leite e nas comidinhas.

Isso é péssimo do ponto de vista nutricional, porque ele precisa disso para se desenvolver de forma mais saudável.

2 – O bebê pode desenvolver seletividade alimentar

Dar sucos antes da hora para nossos filhos pode incentivar que desenvolvam seletividade alimentar.

Quando nós nascemos temos predisposição a preferir os alimentos doces.

Se isso for incentivado desde cedo, a criança sempre terá essa preferência de paladar e pode se tornar uma criança seletiva. Ou seja, ela não vai aceitar comer todo tipo de alimento, vai querer sempre o que agrada mais o paladar dela, o que geralmente envolve alimentos com alto teor de açúcar e caloria.

3 – Pode incentivar o desmame precoce

Para dar os sucos, águas e chás geralmente se usam mamadeiras ou até mesmo copinhos de transição, que podem incentivar o desmame precoce pela facilidade que oferecem ao bebê.

4 – A criança perde a oportunidade de mastigar

Todo o processo de deglutição (sugar, mastigar, engolir) é muito importante para o desenvolvimento da criança.

A mastigação é importante para a boa digestão dos alimentos e também funciona como um exercício importante para o fortalecimento da musculatura da face que será necessária para a fala mais tarde.

Ao tomar sucos a criança perde a oportunidade de praticar esse exercício.

5 – A criança perde a oportunidade de aprender com os alimentos

Complementando o tópico sobre mastigação, ao inserir líquidos na introdução alimentar antes da hora, nós estamos deixando de apresentar novas texturas de alimentos para o bebê. Dessa forma ele não está aprendendo nada.

Com essa prática nós dispensamos um dos processos mais importante para o aprendizado do bebê que é a mastigação.

E lembre-se que o objetivo da introdução alimentar é justamente que a criança aprenda com os alimentos.

6 – A criança deixa de ingerir micronutrientes e fibras

É importante reforçar este ponto, quando processamos a fruta para fazer um suco ela automaticamente perde micronutrientes e principalmente a fibra, proporcionando um ganho nutricional baixo comparado à própria fruta.

7 – A criança pode desenvolver diabetes ou obesidade infantil

Uma das piores consequências em longo prazo por não lidar corretamente com os líquidos na introdução alimentar do bebê é a propensão à doenças como diabetes e obesidade infantil.

Isso devido às grandes doses de açúcar e calorias que a criança consome, principalmente em sucos.

Concluindo

A respeito de líquidos na introdução alimentar do bebê,assim como todo o processo de introdução alimentar em si, o mais importante é entender que o objetivo principal é que ele aprenda a comer e desenvolva hábitos alimentares saudáveis que levará ao longo da vida.

Não adianta colocar na refeição um suco que não vai agregar valor nutricional para a alimentação do seu filho. O melhor é sempre oferecer água e evitar açúcar o máximo possível.

Agora você já sabe que se quiser oferecer um suquinho, um chá, ou água de coco de vez em quando é só observar a fase que o seu bebê está e dar em pequenas quantidades, sempre sem açúcar.

Espero que você tenha gostado do artigo. Comente aqui embaixo o que você achou deste conteúdo, se ficou com alguma dúvida e compartilhe com outras mães e pais que precisam aprender como começar com os líquidos na introdução alimentar dos seus bebês.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE