Tipos de Alergia alimentar no bebê: como identificar sintomas e tratar

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

Na fase de introdução alimentar, é comum surgirem dúvidas sobre alergia alimentar em bebês por parte das mamães. Afinal, tudo é novo e ninguém quer correr o risco, certo?

Com informação e conhecimento, você vai ver que não é preciso tanta preocupação. Neste artigo vou explicar o que é alergia alimentar, os tipos que existem e como identificar. Assim, você esclarece as suas dúvidas e toma os cuidados necessários.

O que é alergia alimentar e como identificar

Alergia alimentar é quando o organismo tem uma reação, principalmente em relação a proteína dos alimentos. 

As principais causas são genéticas, quando já tem algum histórico na família de pessoa com alguma alergia. Mas pode acontecer também simplesmente porque o trato gástrico intestinal do bebê ainda está imaturo. Ele precisa de mais maturidade para conseguir aceitar melhor a comida.

Geralmente, os alimentos que mais causam alergia alimentar (alergênicos) são: leite de vaca, soja, amendoim, trigo, ovo, peixes e frutos do mar. Podemos afirmar que estes são os campeões.

Sintomas e Tipos de alergia alimentar

Existem 3 tipos de alergia alimentar, são elas:

  • Mediada: ela costuma ser mais grave e mais persistente, assim como os sintomas. Esta alergia tem reações imediatas, ou seja, até 2 horas após ingerir o alimento. 

As principais reações são na pele e nas vias respiratórias, como dermatites atópicas, manchas vermelhas, muita coceira, urticária, chiado no peito, tosse e espirro, por exemplo.

Este tipo de alergia é mais grave porque ataca a pele e o sistema respiratório. 

A criança come o alimento e já aparece a mancha ou a coceira. O processo é rápido e o exame bioquímico confirma a alergia.

  • Não mediadas: essa é mais difícil de identificar, mas também são menos graves e menos persistentes. A reação pode levar dias para aparecer e não necessariamente na hora.

Os sintomas mais comuns são: vômito, diarreia, fezes com sangue e dores e desconforto no abdômen. 

  • Mista: essa alergia mistura os sintomas da alergia mediada e da não mediada. A criança pode ter lesões na pele, tosse e espirro como também os sintomas no trato gastro intestinal, como diarreia e vômito.

Veja: O Que O Bebê Tem De Comer Aos 6 Meses?

Cuidados para evitar Alergia na introdução alimentar

Na introdução alimentar, muitas mães ficam na dúvida em como introduzir os alimentos alergênicos para a criança. Se o seu filho não é alérgico, não tem problema nenhum oferecer esses alimentos. Pelo contrário, estes alimentos precisam ser introduzidos o quanto antes.

Veja: os melhores horários para fazer a introdução alimentar!

Muitos estudos mostram que quanto mais cedo você introduz estes alimentos, menos chance de alergia o seu filho tem. Por isso que é muito importante oferecer o ovo, por exemplo. Eu sempre indico que ofereçam ele por inteiro na introdução alimentar da criança que não tem alergia a nenhum tipo de alimento e nenhum histórico familiar.

Os únicos alimentos que eu não recomendo são o leite de vaca e seus derivados e frutos do mar, que só devem ser oferecidos depois de dois anos principalmente por conta de intoxicação.  O restante pode oferecer à vontade, até mesmo a soja.

Temos que ficar de olho se vai ter uma reação, mas é muito difícil acontecer se não tiver histórico na família.

E se o bebe for alérgico?

Quando você tem um bebê com alergia alimentar, a introdução precisa de mais atenção. Não precisa mudar muita coisa, mas precisa ser mais cautelosa.

Não precisa reduzir a variedade de alimentos que ele vai ingerir. Vai depender do tipo de alergia que o bebê tem.

Se for mediada, o sintoma vai aparecer na hora. Assim, a criança pode ingerir alimentos diferentes em cada dia. Se for alergia não mediada, precisa repetir o alimento por 3 dias mais ou menos para ver se tem reação.

Por isso você já deve ter ouvido que precisa oferecer o mesmo alimento durante 3 ou 4 dias. Isso é para crianças que são alérgicas e que tem uma alergia não mediada, pois só vamos saber dias depois.

O mais importante é observar os sintomas da criança e se ela está bem, se ela aceitou bem os alimentos e começar com poucos e bons alimentos. Logo, você vai aumentando a variedade dos alimentos pra ver se ela vai aceitar e aí sim colocar os mais alergênicos. 

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Quem leu este post leu também

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE