Como saber se o bebê tem alergia à proteína do leite de vaca e como tratar

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia

Para saber se o bebê tem alergia à proteína do leite de vaca – APLV, é preciso observar se aparece algum sintoma após ele consumir o leite. Os mais comuns são coceira e vermelhidão na pele, vômito e diarreia.

leia mais sobre: seletividade alimentar

A APLV também é conhecida como a alergia alimentar mais comum que acomete as crianças. Os sintomas podem aparecer logo em seguida a ingestão do leite, um pouco depois ou até mesmo no outro dia.

Como identificar alergias em bebês e crianças

Os sintomas mais comuns são coceiras e irritações na pele, diarreia, vômitos fortes e em jato e, em casos mais complicados, problemas respiratórios, como falta de ar, chiado no peito e tosse. Para tratar, é necessário que o diagnóstico seja feito pelo pediatra.

Leia mais sobre guia de introdução alimentar

 Dessa forma, se você suspeita que o seu filho tem APLV, procure um médico para que sejam feitos todos os exames e o tratamento do jeito certo. Até porque alergia tem cura!

O que é APLV – Alergia à proteína do leite de vaca

A alergia à proteína do leite de vaca é uma reação imunológica do organismo da pessoa a uma proteína do leite. É a alergia alimentar mais comum na infância, cerca de 2 a 5% das crianças de até 1 ano de idade desenvolvem essa alergia.

Neste caso, a pessoa é alérgica à proteína do leite e dos seus derivados, como queijos, manteiga, requeijão, ricota, iogurtes, creme de leite, leite condensado, entre outros.

Apesar de o nutriente ser absorvido pelo intestino, ele causa reações devido à sensibilidade do organismo. Ao entrar em contato com determinadas proteínas, o organismo considera as substâncias estranhas e assim liberam anticorpos na corrente sanguínea. São eles que ocasionam as reações dermatológicas, gastrointestinais, intestinais ou respiratórias.

Alguns bebês podem apresentar os sintomas de alergia à proteína do leite de vaca até mesmo durante o aleitamento materno. Na prática, isso não significa que ela é alérgica ao leite, mas está reagindo a essa proteína que a mãe consumiu e passa através do leite.

Quando isso acontece, a mãe precisa suspender da sua dieta o leite e qualquer outro produto derivado. Com isso, também é bom analisar se o bebê tem a alergia, pois na maioria dos casos, ela é genética, ou seja, se os pais ou avós têm, provavelmente a criança também tenha.

Organismo imaturo

bebê tomando leite de vaca

Além da predisposição genética, quando as crianças têm alergia devido a familiares de primeiro grau, outras causas estão associadas ao intestino do bebê, que ainda está imaturo.

Por isso durante os primeiros anos de vida é comum acontecer esse tipo de alergia.  Ao contrário do que muitas mães pensam, evitar alimentos alergênicos não é a melhor saída a fim de evitar o problema.

Se o bebê não tem contato com nenhum tipo de alimento alergênico, o organismo da criança não desenvolve como deveria o seu sistema imunológico. Logo, se você não oferece e evita esse contato, lá na frente vai ser bem pior. 

Então, não precisa ter medo de dar alguma reação. Se a criança é saudável e não tem histórico de alergia com ela nem na família, não há porque se preocupar. Se a criança tem histórico, observe e procure médica se notar qualquer reação.

Alimentação até 1 ano

Da mesma forma, é bom lembrar que até 1 ano o principal alimento do bebê é o leite materno e / fórmula. O leite de vaca e derivados só devem ser oferecidos após 1 ano. Aí sim se você observar algum sintoma, procure um médico para fazer o tratamento correto.

Em algumas crianças as reações podem ser mais leves, como manchas e coceira na pele, inchaço na boca ou nos olhos. Porém, existem casos mais graves que levam a criança a um choque anafilático.  Alergia não é grave, mas precisa ter atenção.

O tratamento mais adequado deve ser prescrito pelo pediatra e/ou nutricionista infantil. No primeiro momento é preciso suspender o leite da dieta desta criança sem prejudicar a alimentação.

Por isso o acompanhamento de um profissional é indispensável, para manter os nutrientes e vitaminas que ela precisa. O leite é a principal fonte de proteína da criança na infância e também importante fonte de vitamina D e cálcio. Leia introdução alimentar e amamentação

Essa suspensão do leite e seus derivados não deve afetar nutricionalmente a saúde da criança, pelo contrário, os alimentos devem garantir os mesmos níveis de crescimento e desenvolvimento. Geralmente, por volta dos 6 anos, a alergia a proteína do leite de vaca tende a diminuir. 

Mesmo com uma criança alérgica, invista numa alimentação saudável. Uma refeição completa e nutritiva deve ter os 5 grupos alimentares: proteína, carboidrato, leguminosas, verdura e legume. E foque na qualidade dos alimentos, na infância a quantidade não deve ser sua prioridade, mas sim a variedade de alimentos que oferece a criança. Leia Horários das refeições na introdução alimentar

Não se preocupe com alergia antes de ela aparecer. Desde a introdução alimentar ofereça todo tipo de alimento para seu filho. Ele precisa conhecer o maior número possível de alimentos para criar hábitos saudáveis.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Introdução alimentar

Receita de Papinha de Ameixa para Bebê

A ameixa é um ótimo alimento para oferecer ao seu bebê. Além de ser super saudável, ela ainda tem poder laxante para auxiliar na prisão

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE