A Seletividade É Uma Fase? Neofobia Alimentar Em Crianças

Dra Camila Garcia

Dra Camila Garcia


Seletividade alimentar
 é quando a criança seleciona uma boa parte dos alimentos ou um grupo inteiro, como por exemplo as frutas. Se ele come a maioria das frutas e apenas 1 ou 2 ele recusa, isso não é seletividade.

Porque ocorre a seletividade alimentar?

É importante observar esses fatores para não afirmar que se trata de uma seletividade ou é apenas uma recusa alimentar, comum em algumas fases.

Essa clareza é indispensável para identificar o que realmente está acontecendo com o seu filho e assim poder agir da maneira correta. Seja recusa ou seletividade, você precisa saber como agir. Esta pode ser uma fase, mas se você não souber como lidar, ela vai se instalar cada vez mais e aí sim a seletividade vai tomar conta.

Por esse lado, podemos sim afirmar que a seletividade é uma fase, porem ela não passa sozinha. Você tem que agir. 

Fases da criança

Desde o nascimento, a criança passa por diversas fases. Algumas são mais fáceis e outras nem tanto. 

Guia de introdução alimentar

Por exemplo, na fase dos dentinhos nascendo, nós fazemos o que podemos para ajudá-la: passamos pomadinha, oferecemos alimentos mais gelados para aliviar a dor, entre outras coisas. Sabemos que é uma fase e buscamos alternativas para achar a melhor solução. 

Quando o bebê começa a andar e a sua casa tem uma escada. É fase, mas o que você faz? Cerca tudo que oferece perigo ao seu filho para ele não se machucar. A gente sempre busca maneiras de garantir a saúde e bem estar dele.

Com a seletividade é a mesma coisa. Você não deve ficar parada e esperar passar sozinha. Você tem que cercar, procurar alternativas e se informar sobre o que fazer.

A seletividade de fato

criança com rejeição alimentar no almoço

A seletividade só acontece depois dos 2 anos. Antes disso, é a fase de introdução alimentar, ou seja, de aprendizado, de conhecimento e de exploração dos alimentos. Se a partir dessa idade ela começa a selecionar os alimentos não fique sentada esperando passar e sofrendo desesperada.

Esse é o maior erro de todos perante a seletividade alimentar e a maioria das mães comete esse erro puramente por falta de informação. É importantíssimo você identificar cada fase para saber o que fazer em cada uma. Veja quais são elas:

1 – Fase da recusa na introdução alimentar: nessa etapa o bebê está começando a conhecer os alimentos, aprendendo, tentando pegar o alimento e está tudo bem se não comer.

2 – Fase de 1 ano: Nessa idade é comum o apetite das crianças diminuírem muito devido a menor necessidade de calorias. Assim, é normal elas comerem quantidades menores.

3 – A partir dos 2 anos: se a criança vem num ritmo de recusa e a mãe não faz nada, aí sim podemos afirmar que ela é seletiva. E a tendência é piorar cada vez mais se você não souber como agir. Nessa idade, as crianças tem mais autonomia, adoram falar não e podem facilmente selecionar os alimentos de sua preferência.

Identificar a fase é fundamental

Diante disso, identificar qual fase seu filho se encontra é indispensável para saber como agir. Na seletividade é comum acontecer, por exemplo, a criança só querer comer macarrão, ou só um determinado alimento. Se você ceder e oferecer o que ele prefere, não está ajudando em nada. 

Pelo contrário, está apenas piorando essa seletividade que veio para se instalar mesmo. Eles têm preferências sim, todo mundo tem, mas de um grupo inteiro de alimentos, isso não é normal.

Além disso, é comum preferir os líquidos, porque são mais fáceis de engolir e não precisa mastigar. Muitas crianças que tiveram recusas e a mãe substituía os alimentos por leite não aprenderam a mastigar e agora sofrem com isso. 

Elas preferem alimentos que não exigem muita mastigação. Bebê precisa mastigar e quando não consegue ele prefere o caminho mais fácil, mas nem sempre o mais fácil é o melhor caminho. Por isso você tem que saber como agir para ajudar de fato o seu filho. 

Quantas vezes você pega o caminho mais fácil porque está cansada e acaba cedendo? Tira o alimento que a criança não quer do prato e pronto, nunca mais a criança vai ver aquele alimento de novo. 

Dessa forma, vai deixar de comprar, não vai oferecer e nem expor o alimento para ela e vai esperar que essa fase passe sozinha. 

Seletividade precisa de ação

Todas as crianças passam por essa fase e ficam um pouco seletivas. É normal. Mesmo assim não podemos concordar e esperar passar.  O que vai fazer a diferença e garantir que o seu filho mantenha uma alimentação saudável é o seu modo de agir.

Se você souber o que fazer, continuar expondo a criança aos alimentos, incentivando-a a comer e ajudar, vai passar mais rápido e de forma tranquila.

Afinal, educação nutricional é nossa responsabilidade e está em nossas mãos ensiná-la. Só assim nossos filhos crescerão fortes e saudáveis comendo de tudo como toda mãe quer.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe seu Comentário

Compartilhe e pergunte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também

Introdução alimentar

Receita de Papinha de Ameixa para Bebê

A ameixa é um ótimo alimento para oferecer ao seu bebê. Além de ser super saudável, ela ainda tem poder laxante para auxiliar na prisão

Como fazer SEU BEBÊ GOSTAR DE TODOS OS ALIMENTOS

Todos os bebês que comem bem seguiram esse processo e você pode usá-lo a partir de HOJE